Sábado, 21 Outubro 2017

O número de assassinatos em São Paulo é maior do que o divulgado pela Secretaria da Segurança Pública. Levantamento do jornal
O Estado de S. Paulo achou 21 casos registrados em boletins de ocorrência da Polícia Civil do primeiro semestre de 2015 que
ficaram de fora das estatísticas criminais. Eles foram registrados como "morte suspeita" e depois reclassificados, na maioria,
como "lesão corporal seguida de morte" - embora tivessem um histórico de homicídio. Isso aconteceu mesmo sem a polícia saber
se a intenção do autor do crime era ferir ou matar a vítima. Assim, os casos continuaram sem constar das estatísticas desse crime.

Se os 21 casos tivessem sido incluídos no balanço da SSP, o primeiro semestre de 2015 teria fechado com 3,6% mais vítimas de
assassinato na cidade, ou 590 pessoas mortas em vez das 569 divulgadas pela secretaria. O número significaria uma variação
de 0,3% maior no total de vítimas de homicídios em relação ao mesmo período de 2014 (que teve 588 mortes oficiais), ao contrário
da queda de 3,2% divulgada pelo governo. Em média, pelo menos 3,5 casos de mortes violentas foram registrados como "lesão corporal"
ou "morte suspeita" por mês pela polícia.

fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/numero-de-assassinatos-em-sp-e-maior-do-que-o-divulgado-pelo-governo
foto: agenciabrasil.ebc.com.br

b_250_120_16777215_00_images_949008-justia_6.jpg