Sexta, 19 Janeiro 2018

Leia mais...Aberto ao publico no último dia 16, o Museu Pelé já se transformou numa das principais atrações da cidade. Na primeira semana de funcionamento 7.200 visitantes conheceram um pouco mais sobre a história e as conquistas do Rei do Futebol. Estima-se que 60% deles eram estrangeiros.
O museu funciona no Casarão do Valongo, do séulo 19 com mais de quatro mil m², que por si só já é uma grande atração. Chuteiras, bolas, condecorações, troféus, medalhas e muitos outros itens fazem parte do 'acervo real', com 2.545 peças. O público pode apreciar vídeos, filmes, fotos e textos sobre a história de Pelé, ainda, imagens holográficas e e recursos interativos.
Muito além do futebol, o museu é também uma oportunidade para conhecer um pouco mais sobre a história do mundo nas últimas décadas. Com esse intuito, a professora Clara Cabral levou seu filho Marcelo para conhecer o local. “É claro que o interesse maior é o futebol, mas há muitas coisas relacionadas à história aqui. Por exemplo, a Copa do Mundo veio para o Brasil em 1950 porque os europeus não tinham condições de sediar a competição, por conta da segunda guerra”.

LEGIÃO ESTRANGEIRA

Com a Copa do Mundo e o grande número de turistas estrangeiros em visita à cidade, o Museu Pelé virou ponto de parada quase obrigatório para os 'gringos'. Ontem (24), os turistas do Chile, “invadiram” a atração.
Claudio Romero, torcedor no Universitário do Chile, ficou impressionado com a quantidade de peças ligados ao Rei do Futebol. “São todas realmente dele?”, questionou. Após receber a resposta positiva, afirmou: “É incrível. É uma história inigualável”.
O também chileno Pablo Alvarez curtiu a área interativa. O empresário de 49 anos foi mais rápido que os filhos e sobrinhos no setor Drible Como Pelé, com 4,65 minutos. A brincadeira consiste em um circuito de dibles em que ganha quem completá-lo em menor tempo “Superei a todos. Assim fará o Chile no sábado”, disse aos risos (em alusão ao jogo contra o Brasil), dizendo ainda que levaria livros e camisetas como lembrança de um dia que definiu como “especial”.

Serviço
- Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h.
- Ingresso: R$ 18,00.
- Entrada livre: crianças até 10 anos acompanhadas dos pais ou responsáveis, e estudantes da rede pública (ensino fundamental e médio).
- Meia entrada: estudantes em geral, professores da rede pública, pessoas com deficiência e maiores de 60 anos.

 

Acesso na entrada para praia Dura, seguindo por 7 km de via secundária passando pelas praias: Dura, Brava do Sul, Vermelha do Sul, do Costa e Brava da Fortaleza. Praia localizada na enseada da Fortaleza, no seu lado direito tem uma grande formação rochosa avançando para o mar, no passado abrigou corsários e piratas. Antiga vila de pescadores, já foi bem desenvolvida, tendo mais de trinta ranchos de canoa e dois alambiques produzindo pinga que transportavam de canoa de voga até o porto de Santos. Do passado restam uma antiga capela e um rancho de canoa. A praia tem amendoeiras em sua orla e seu mar tranqüilo e protegido é ideal para o mergulho, tem bares rústicos e casas de veraneio.Outra opção de acesso é pela trilha que parte do canto esquerdo da praia da Lagoinha e passando pelas praias do Oeste, Peres, Bonete, Grande do Bonete, Deserta e Cedro.

Leia mais...